domingo, 1 de julho de 2012

Olá Blog...

Domingão ensolarado... Tanto tempo sem vir por aqui... Recomeçar é sempre difícil...

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Ensaiando o show Bambusical

Voltar ao blog...pensava isso e ia fazer outra coisa, será que nunca mais vou postar nada nesse blog? me perguntei várias vezes. Conversando com amigos que também são blogueiros, descobri que é assim mesmo, a gente uma hora desanima... mas passa, enfim, estamos aqui novamente a falar coisinhas da vida... que bom!
Durante os ensaios para o show "Bambusical" idealizado por Gilda Montans e Meire-Mary Genaro, fiz algumas fotos das "meninas trabalhando" e como resultado saiu um clipizinho que muito me animou na experiência de praticar um programa novo de edição.
Passamos horas deliciosas "trabalhando" e trocando experiências, o show Bambusical aconteceu no Sesc-Ribeirão no dia 23 de setembro e foi uma honra ter participado. Também ficar perto de Deva Mille, suas filhas e do Carlito foi um grande prazer.

video

terça-feira, 8 de setembro de 2009

IV JORNADA EM DIVERSIDADE SEXUAL



Só o Lau mesmo pra montar um convitinho assim, tão lindim.... Obrigada Lau!

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

LANÇAMENTO EM GOIÁS - UM SR. LIVRO


Como parte das comemorações do Festival Cora Viva Coralina em Goiás, aconteceu no “mágico” quintal da casa velha da ponte, hoje Museu Casa de Cora Coralina, o lançamento do livro Cora Coralina – Raízes de Aninha de Clóvis Carvalho Britto e Rita Elisa Seda (www.ritaelisaseda.com.br - visita obrigatória)



Foi emocionante estar presente no local e ouvir os autores falarem sobre o desafio ao encarar a biografia de Cora Coralina. E agora terminando de ler o livro, dá pra imaginar o árduo trabalho que os dois encararam. É um livro emocionante e grandioso como a própria vida de Cora Coralina. Um livro imprescindível a quem deseja conhecer a Mulher Anna Lins dos Guimarães Peixoto Brêtas emoldurada em Cora Coralina. Parabéns!
Em sua dedicatória a mim, Rita Elisa escreve: Querida Tina seu amor por Cora deve irradiar a humildade de amar!
Encarei como uma lição de casa. Tenho dito.

A CIDADÃ CORA CORALINA



O jornal O Estado de São Paulo de 3 de outubro de 1921 publicou um artigo intitulado “Idéias e comemorações” de autoria de Cora Coralina.
No artigo, Cora Coralina sugeriu a exibição de filmes de curta metragem que deveriam ser exibidos em todos os cinemas do país, retratando a cultura, paisagem, costumes e a arte de cada estado brasileiro.
Hoje, passados 81 anos de sua publicação, a sugestão demonstra, mais do que nunca, uma lição de cidadania e visão avançada focada em seu país.
E “antes que o tempo passe tudo a raso” transcrevo parte da crônica como comprovação da amplidão do pensamento de Cora Coralina.
“E viria em primeiro plano S.Paulo com o esplendor dos seus cafezais compactos, em todas as fases do plantio, cultura, florescência, colheita, exportação, enriquecendo direta e indiretamente o país, o estado e o município, o fazendeiro e o colono. As suas indústrias prosperam, suas cidades de cinco anos já aparelhadas e feitas para a vida de cidades grandes. Depois Minas com seu industrialismo de laticínios, seus rebanhos médio e suas velhas tradições históricas. Bahia com sua cultura de cacaueiros, toneladas de expçortação (...) Paraná com sua erva mate, suas madeiras de lei e sua seiva maravilhosa. Rio Grande do Sul com as charqueadas, suas indústrias adiantadas (...) e o interessante gaúcho de poncho amplo e chapéu largo. Pernambuco e Alagoas com suas grandes usinas açucareiras. O Amazonas com sua borracha, dando-nos curiosos e inéditos aspectos da vida dos seringais. Mato Grosso com sua ferocidade de terras virgens, abertas, a remunerar todas as iniciativas do homem, seja criando, seja plantando. E Goyaz, o olvidado, o desconhecido Goyaz, perdido e isolado no centro do Brasil, mais ignorado dos próprios brasileiros do que todos os outros Estados da Confederação, relegado sempre na distribuição dos favores oficias, vivendo vida inteiramente à parte progredindo mais pelo instinto natural das coisas do que pelo consenso dos governos que desconhecem impatrioticamente as possibilidades econômicas do Brasil Central” (CORALINA, Cora. Idéias e Comemorações, jornal O estado de São Paulo, 3 out. 1921. Acervo do Museu Casa de Cora Coralina.)

Hoje a visão de cada Estado brasileiro não seria a mesma, mas com certeza, se seu pedido tivesse sido atendido, o Brasil de hoje não seria como é.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

TINA COLHENDO FRUTOS...

Em comemoração aos 120 anos de nascimento da poetisa Cora Coralina e 20 anos de criação do Museu que leva o seu nome, acontecerá de 19 a 23 de agosto o Festival Cora Viva Coralina em Goiás Velho – GO.
A programação contará com a participação de Tina Oliveira de Ribeirão Preto, que foi convidada pelas coordenadoras do Museu Casa Cora Coralina, para apresentar no Teatro São Joaquim o espetáculo “O Prato Azul Pombinho” – que foi realizado na IX Feira do Livro de Ribeirão Preto.
Para ver a programação completa acesse www.casadecoracoralina.com.br em notícias

(Fotos do espetáculo por Reinaldo Romero)

ADOREI!!!!!!

Lau Baptista é o responsável por essa brincadeira bacana!!!!! Valeu Lauzito!!!



Com direito a banner e tudo heheheh.

terça-feira, 28 de julho de 2009


"Tem dias que a gente se sente, como quem partiu ou morreu..." É esse, um sentimento universal que abate qualquer um, assim como um vírus, e o que fazemos para neutralizá-lo fica por conta de cada um. Uns choram e gritam e se revoltam, outros procuram ajuda de amigos, profissionais, outros ainda, como eu, se fecham numa concha esperando que o próprio vento que a vida sopra venha amenizar e mandar para longe a sensação de impotência diante das emoções que não sabemos explicar. Mas... o dia nasce e tudo se refaz de alguma forma diferente do que foi ontem... Ainda bem! Portanto, não parti e nem morri, apenas vi o dia nascer de novo e isso me fortaleceu.